portugues espanhol ingles frances alemao chines(simplificado) russo
Início » Notícias » Identificando a transmissão aérea como a rota dominante para a propagação do COVID-19

Identificando a transmissão aérea como a rota dominante para a propagação do COVID-19

Publicação: 15 de junho de 2020

Foram implementadas várias medidas de atenuação para combater a pandemia da doença de coronavírus 2019 (COVID-19), incluindo distanciamento social amplamente adotada e cobertura facial mandatada. No entanto, avaliar a eficácia dessas práticas de intervenção depende da compreensão da transmissão de vírus, que permanece incerto. Aqui mostramos que a transmissão aérea é altamente virulenta e representa a rota dominante para espalhar a doença. Ao analisar as medidas de tendência e mitigação em Wuhan, China, Itália e Nova Iorque, de 23 de janeiro a 9 de maio de 2020, ilustramos que os impactos das medidas de mitigação são discerníveis das tendências da pandemia .. Nossa análise revela que a diferença com e sem cobertura facial mandatada representa o determinante na forma de moldar as tendências pandemia nos três epicentros. Esta medida de proteção por si só reduziu significativamente o número de infecções, ou seja, em mais de 78,000 na Itália, de abril de 6 a maio de 9 e mais de 66,000 na cidade de Nova Iorque de abril de 17 a maio de 9. Outras medidas de mitigação, como o distanciamento social implementado nos Estados Unidos, são insuficientes sozinhas para proteger o público. Concluímos que o uso de máscaras faciais em público corresponde aos meios mais eficazes para prevenir a transmissão inter-humana, e esta prática barata, juntamente com distanciamento social simultâneo, quarentena e rastreamento de contacto, representa a mais provável oportunidade de lutar para parar o COVID-19 pandemia. O nosso trabalho também salienta o facto de que a boa ciência é essencial na tomada de decisões para as atuais e futuras pandemias de saúde pública.

Mais informações:

https://www.pnas.org/content/pnas/early/2020/06/10/2009637117.full.pdf

Comentários